Sobre acessibilidade

Áreas

Abas primárias

16/03/2017 - 10:45

O Instituto de Metrologia do Estado do Pará (Imetropará) participou na manhã de ontem, 16, d reunião Coordenada pela promotora de Justiça, Joana Coutinho, do Ministério Público do Estado para discutir melhorias nos serviços de envasamento de água mineral e adicionada de sais no Pará. Também participaram da reunião integrantes do Procon-PA, Departamento de Vigilância Sanitária Estadual e Municipal, Sefa, Semas e I.E.C.

 

O diretor do Procon-PA, Moysés Bendahan, apresentou um levantamento contendo dados estatísticos e informações relativas ao serviço de envasamento de água, focando em alguns dos principais problemas que afligem os consumidores paraenses como contaminação, dificuldade em identificar o tipo de água, deficiência na qualidade dasinstalações das empresas, entre outras.

 

O levantamento apontou a necessidade de uma regulamentação no Pará e que apesar do setor vir crescendo nos últimos anos ainda falta investimentos no setor em todo Estado. De acordo com levantamento da Divisão de Controle da Qualidade dos Alimentos, vinculado a Secretária de Estado de Saúde Pública, o Pará possuí 16 empresas de água mineral e 20 de adicionada de sais.

 

O objetivo é contribuir para a melhoria desse serviço, buscando soluções junto aos órgãos competentes e, a partir daí, montar um plano de trabalho onde cada instituição se comprometa a cumprir a sua parte. “É preciso que haja um grande controle, observamos que nos últimos anos houve um crescimento desordenado das empresas desse ramo. Então nós temos uma responsabilidade muito grande de garantir que o mercado e o consumidor não sejam lesados” declara Jorge Rezende, presidente do Imetropará.

 

Durante os próximos dias, a fiscalização da água será reforçada nos dois tipos que são produzidas e comercializadas no Pará: a água mineral e água adicionada de sais. O consumidor deve estar atento aos rótulos dos produtos vendidos para saber identificar.